Desmistificando a vacinação

393

Por Ana Isabel Abreu

A importância da imunização de crianças no Distrito Federal

A vacinação é uma forma significativa de proteger, com a ação de anticorpos, a população contra várias doenças, entre elas a gripe, varíola, poliomielite, sarampo, HPV, tétano e muitas outras. O papel do Estado e do Poder Legislativo, nessa perspectiva, é criar condições para que políticas públicas sejam criadas a fim de informar a sociedade e fortalecer a confiança das pessoas nas vacinas de distribuição pública, como incentiva o deputado distrital Iolando (PSC), autor do Projeto de Lei 062/2019, que pretende difundir as ações de imunização infantil.


Esse PL obriga a apresentação da carteira de vacinação atualizada ou do comprovante de vacinação no ato da matrícula nas escolas e creches públicas ou privadas. O Projeto destaca que a proposta não é fator impeditivo para que crianças tenham acesso à educação caso não seja exibida a carteira de vacinação. Nesse caso, o fato deve ser comunicado ao Conselho Tutelar para que outras medidas sejam tomadas e para que a plena saúde das crianças seja priorizada.


Acompanhar a saúde dos indivíduos desde os primeiros anos de vida é parte imprescindível do processo de prevenção e promoção da saúde pública. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), até 3 milhões de mortes por ano podem ser evitadas. Por isso, é importante também desmistificar boatos e fake news (notícias falsas divulgadas principalmente nas redes sociais) que comprometem a decisão coletiva sobre as práticas de imunização.


Existe um movimento antivacina que tem atingido muitas pessoas porque ainda há muitos questionamentos sobre a segurança das vacinas e seus efeitos colaterais. Como consequência disso, doenças já eliminadas, como o sarampo (que mata um número considerável de crianças por ano), voltaram a aparecer. O que os especialistas afirmam é que a vacina, assim como qualquer medicamento, pode trazer eventos adversos, mas, com certeza, mais leves do que as doenças e suas possíveis sequelas.


A vacina defende o ser humano sem que seja preciso entrar em contato com a doença. O Distrito Federal ainda tem uma baixa cobertura vacinal, o que faz com que o número de pessoas vulneráveis às enfermidades aumente. Por esse motivo, é de extrema importância que a população se informe e dê a relevância necessária às políticas que dizem respeito à saúde e ao processo de imunização, tanto das crianças quanto de adolescentes e adultos. Isso contribui para a melhora da saúde pública em todos os níveis, e é isso que a população do DF tanto espera.